quinta-feira, 19 de março de 2009

A história do hífen

O hífen é o pesadelo, o pomo da discórdia, a besta do apocalipse! É a pedra no caminho, a pedra de escândalo, o fim da picada.

Seria interessante alguém fazer a história do hífen, comparando-a com a história do apóstrofo, do til ou do ponto de interrogação. Certamente há coisas mais urgentes na vida, mas é como dizia Ortega y Gasset: o ser humano não quer apenas sobreviver, quer viver. E a nossa existência tem milhões de coisas assim, que parecem supérfluas, pura perda de tempo.

Vejam, por exemplo, as coleções. Há os que colecionam selos, moedas, cartões telefônicos, cartões postais, canetas, cardápios, conchas, gravuras, gibis, caixas de fósforos, camisetas, chaveiros, girafinhas e outros animais em miniatura — pinguins, corujinhas, burrinhos, rinocerontes, hipopótamos, elefantes, dinossauros... Para que, meu Deus, tantas coleções inúteis, enquanto morrem de fome milhares de crianças neste mundo?

E há quem colecione hifens, e até se preocupe em ter dúvidas sobre eles!

Ontem, uma pessoa me enviou a seguinte pergunta: "Trabalho em uma empresa de brinquedos educativos e gostaria de saber sobre o uso do hífen na palavra quebra-cabeça."

Aliás, quer melhor quebra-cabeça do que o próprio hífen? Sim, o tracinho trapalhão continuará na palavra "quebra-cabeça".

Uma curiosidade. O hífen também se chama traço-de-união, ou melhor, traço de união, sem hifens a partir de agora, segundo o Acordo.

Outra curiosidade. Poucos sabem que o hífen tem um irmão, o seu perfeito contrário, o antífen [#], sinal empregado pelos revisores para indicar a necessidade de separar palavras que se encontram justapostas.

9 comentários:

  1. gostaria de saber se quebra-cabeça tem hífen ou não.

    ResponderExcluir
  2. gostaria de saber se quebra-cabeça tem hífen ou não.

    ResponderExcluir
  3. Prezado blogueiro (lá além seria bloguista, se bolsista lá é bolseiro?), devemos (-mos é igual a brasileiros, portugueses, caboverdeanos, se não tiver hífen esta semana...) ser-te grato. Se não lanças luz a esta (opa, no Brasil se prefere "nesta") ortho-grapheia, pelo menos deixas claro que faltaram luzes aos louco por ih! fen.
    Falando sério, haver regras igualmente conhecidas em todos os países é bom. Assim param os brasileiros de ser reprovado por corretores de prova portugueses na Europa, e idem os portugueses ao serem corrigidos por brasileiros. Mas porque o simplismo de achar que a questão do hífen é meramente ortográfica? Se era para ser ruim, porque não deixaram quase como estava, só aumentando as semelhanças entre as hifenações lusa e brasileira? Qual é o problema com o microondas, alguém morre por escrever isso junto? Como saber o que foi consagrado e não segue as novas regras?
    Escrever junto sem espaço e sem hífen, com espaço apenas, com hífen mexe com questões de quantos signos são percebidos por quem em que momento... Isso varia... Mexe com gramática e sintaxe, com a pronúncia. Afinal, para que tanta confusão numa reforma micro-ortográfica?

    ResponderExcluir
  4. "Sim, o tracinho trapalhão continuará na palavra "quebra-cabeça". Portanto, quebra-cabeça tem hífen, segundo o dicionário Houaiss atualizado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graças a Deus alguém respondeu...
      Obrigado Sr. Anônimo!

      Ass. Anônimo II

      Excluir
  5. Queria saber se ser humano tem hífen?

    ResponderExcluir
  6. O Autor parece minha professora de Português do primário, fala, fala, e não se entende nada!rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkq massa

      Excluir
  7. Olá, Gabriel, obrigada pela visita ao "Era uma vez... de verdade". De fato, seu texto foi inspirador.

    ResponderExcluir